Pensando grande – Parte IV

E eis que afinal chega o dia que o headhunter, após caçar os melhores candidatos no mercado, se reuniu com o staff da Mega Igreja para apresentar seus candidatos.
Pastor Premium não disfarçava a ansiedade. – “Vamos lá, meu amigo, o que tem para nos mostrar?”.
O profissional, um dos melhores do mercado, contratado a peso de ouro, iniciou sendo sincero.
– “Bem, dentro do perfil que vocês traçaram eu encontrei bons nomes, mas todos estranhavam quando eu dizia que o contratante era uma instituição religiosa. Houve quem duvidasse, pois as exigências estão meio fora do perfil”.
Pastor Premium não se fez de rogado: – “E daí? Eles estão pensando que não temos condições de pagar? É isso?”.
– “Pode ser, pastor Premium, pois as exigências são de empresas top de mercado”.
Advanced tentou tapar o sol com a peneira:
– “Estamos apenas tentando quebrar paradigmas. As empresas seculares podem buscar os melhores profissionais e as agências do Reino de Deus tem que ficar com as sobras, com o resto?”.
O staff todo sorriu, aprovando sua bela argumentação.
Mas o headhunter, experiente, acostumado com coisas do arco da velha, foi direto ao ponto:
– “Meus caros, o que eu quero dizer é que um cara com esse perfil tem sangue gelado nas veias e o coração na sola dos pés. Definitivamente, não é um sujeito que vai abraçar as velhinhas e visitar doentes com uma Bíblia debaixo do braço”.
– “Você quer dizer que é um bom profissional?”, indagou pastor Gold, alterando o tom de voz quando pronunciou “profissional”.
– “É do tipo que venderia a mãe para uma fábrica de rações. E não entregaria”.
Pastor Premium se irrita. – “Quer dizer que pagamos uma fábula para você nos dizer que não achou ninguém? É isso?”.
– “Engano seu, pastor. Encontrei três bons candidatos. Posso exibir a entrevista?”.
Ato contínuo, a tela de LCD do CEO Room passou a exibir o vídeo com as entrevistas. Todos eram jovens, com um currículo invejável. Formados nas melhores universidades do país, todos tinham feito cursos no exterior, inclusive mestrados.
Fluentes em vários idiomas, alguns com livros publicados, assinavam colunas em publicações como Exame, Você S.A., Harvard Magazine, etc.
Os feitos tambem impressionavam.
Um deles assumira a empresa do pai, após sua morte. Uma empresa média, com quadro de funcionários antigos, com longo tempo de casa. Demitiu todos, contratou terceirizados por salários de fome, reduziu a qualidade dos produtos e fez os lucros da empresa explodirem.
Outro foi contratado por uma empresa brasileira que precisava aumentar o faturamento. Fechou a unidade no Brasil, demitindo centenas de funcionários e transferiu toda a produção para a India. Trabalho escravo, dizem, mas nada nunca foi provado.
Já o terceiro… Bem, o terceiro provou ser um legítimo timoneiro rumo ao lucro. Com políticas de austeridade como cortes de benefícios aos funcionários, fez com que a empresa quadruplicasse seu faturamento em menos de dois anos. Vendeu a área que antes era o clube recreativo dos funcionários e transformou num imenso armazém. A vila de casas dos funcionários também vendida, após uma longa disputa na justiça.
A empresa se notabilizara por entrar com sucessivos recursos, sempre protelando o pagamento de indenizações. Dessa forma, o saldo de caixa crescia exponencialmente.
– “Genial! Esses são os caras!”, exclamou Premium.
– “Só tem um detalhe, caro pastor”, falou o headhunter, desligando o video e olhando fixamente para o grupo. – “Nenhum desses aí saberia diferenciar uma Bíblia de um menu de restaurante. Desconhecem completamente o que é igreja, Jesus Cristo, etc”.
– “Deixe de ser radical, meu amigo”, tranquilizou-o pastor Premium. “Não há impossível para Deus”.
Os pastores Platinum, Gold, Advanced e Premier já apontavam seus favoritos.
– “Todos são bons, mas o do “trabalho escravo” provou ser esperto”, defendia Premier, sendo alertado pelo headhunter que nada havia sido provado, eram só denúncias.
– “Eu gostei do garoto que herdou a empresa do pai. Mandou a velharia embora e fez a coisa dar lucro. É dos meus!”, empolgou-se Platinum.
– “E o senhor, grande mestre?”, Advanced pergunta para um observador Premium. O pastor Premium está parado em frente à janela, como sempre faz quando quer dar um ar dramático a suas declarações.
Vira-se lentamente e encerra o assunto: – “O terceiro tem a nossa cara. Pode trazê-lo”.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s