Uma mão lava a outra

Ultimamente, o Pastor Premium mostrava incomum interesse pela política da cidade.
Pastor Advanced, seu auxiliar direto, notara que ele acompanhava de perto o desempenho dos candidatos, mas sem demonstrar predileção por esse ou aquele.
Naquele dia, ao entrar na CEO room, Advanced encontra o pastor Premium parado em frente à imensa janela que ocupa toda a parede, fitando o horizonte.
-“Meu grande mestre, conheço esse olhar pensativo! Genialidades e grandes obras certamente estão fervilhando em sua mente”, declarou o puxa-saco.
– “Advanced, estou pensando em declarar meu apoio a um desses candidatos”.
O auxiliar mostou-se surpreso: – “Apoio? Como assim?”, indagou.
Pastor Premium começou a circular pela imensa sala, escolhendo as palavras.
– “Advanced, a mega igreja e sua liderança exercem um papel primordial na sociedade. Somos atalaias, gigantes a favor da coletividade, verdadeiras locomotivas rumo ao progresso!”, e arrematou: “Não podemos nos furtar a manifestar nossa posição”.
Sempre atrasado, Advanced iniciou um discurso meio capenga: – “Parabéns, grande líder! Realmente, temos que orientar nosso povo sobre o melhor governante, aquele que há de conduzir o povo com sabedoria e justiça, aquele que…”
– “Dá um tempo, Advanced! O povo que se vire. Estou pensando em… digamos, formar alianças, organizar uma “base de sustentação”, se é que você me entende”.
O pastor Advanced deveria ter desconfiado que a última coisa que o líder máximo da Mega Igreja pretendia era “orientar nosso povo sobre o melhor governantes, etc,etc”.
O cenário era propício. Após uma campanha acirrada, com direito a baixarias diversas, dois candidatos chegaram ao segundo turno.
Nenhum dos dois era – para usar uma expressão antiga – flor que se cheirasse, mas essa não era a maior preocupação do pastor Premium.
– “Advanced, entre em contato com o comitê de ambos, de forma sutil, e veja o que oferecem pelo nosso apoio”.
– “Com o comitê de ambos? Mas pensei que iríamos apoiar um deles…”, era Advanced provando que estava na idade da Pedra Lascada em termos de política.
– “Meu bom homem, vamos ouvir o que eles tem a oferecer. Ou você acha que nosso apoio será dado só pelos belos olhos do candidato?”.
Advanced trabalhou surpreendentemente bem, articulando nos bastidores.
Um dos candidatos havia sentado o porrete em candidatos evangélicos e isso o prejudicava para aceitar o apoio da Mega Igreja. Isso decidiu o apoio a seu adversário.
O apoio foi comemorado com direito a abraços e apertos de mão na CEO room, com direito a cobertura da imprensa.
Pastor Premium apareceu na mídia apertando a mão do candidato a prefeito e declarando: – “Com esse, o povo de Deus terá vitória!”.
Podem falar mal do pastor Premium em muitas coisas, mas ele é, de fato, alguém que “veste a camisa”.
No dia seguinte, no cultos da Mega Igreja a pregação foi sobre “um homem que Deus enviaria para livrar o povo da cidade do jugo da injustiça e da opressão, trazendo uma época de paz e prosperidade”.
Estranhamente, durante todo o culto, o telão multimídia exibia o número do candidato no fundo. Folhetos e “santinhos” do candidato eram distribuídos junto com os luxuosos programas de culto, enquanto seus cabos eleitorais transitavam com desenvoltura pelas dependências da Mega Igreja.
Uma reunião da junta diaconal teve que ser adiada, pois várias salas foram cedidas para que o comitê do candidato montasse suas “bases de trabalho locais”.
Contrariado, um diácono caiu na besteira de questionar o pastor Platinum: – “Mas isso está errado. Então a igreja prejudica seus trabalhos por causa de comitê eleitoral de um candidato político. Viramos palanque?”.
Pastor Platinum respondeu à altura: – “Saiba, ovelha rebelde, que esse acordo visa o melhor para o povo de Deus! Não seja pedra de tropeço para os planos do pastor, digo, de Deus para Sua igreja!”.
A dúvida do diácono acerca da igreja virar palanque seria desfeita à noite, quando, nos quatro cultos, o candidato práticamente dominou a cena. Falou de seus projetos, de sua amizade de “longa data” com o pastor Premium, arriscou-se como cantor, contou piadas – algumas inadequadas para o ambiente – e distribuiu sorrisos e apertos de mão à porta.
O resultado do apoio rápidamente se fez perceber nas pesquisas.
O candidato abriria cerca de 20% vantagem nas pesquisas sobre intenção de voto.
“Nosso candidato é bom, tem as melhores propostas e o povo entendeu isso”, comentava um dos articuladores do cômite eleitoral do candidato, numa das reuniões semanais no CEO room da Mega Igreja.
No dia seguinte, entre o staff os comentários eram outros: “Candidato bom? Melhores propostas? É uma  marmota!”, desdenha o pastor Gold.
– “O povo entendeu nossa proposta”, ainda tenho que ouvir isso do sujeito”, ridiculariza o pastor Platinum.
– “O povo não enxerga um palmo diante do nariz, Platinum. Eles deveriam admitir que nosso apoio é que alavancou a campanha daquele inútil”, encerra Premium.
Na verdade, existiam alguns pontos fracos no candidato, devidamente camuflados pelo apoio maciço da Mega Igreja, com seu poder de divulgação e seu imenso rebanho.
Como consequência, a uma semana da eleição, o candidato apoiado pela Mega Igreja tinha 80% das intenções de voto.
A divulgação dos resultados da pesquisa rendeu comemoração efusiva na CEO room.
Gritos, palmas, discursos, fotos, abraços apertados, palavras de apreço, etc.
Em meio à euforia total, o pastor Premium brada: “Faremos um governo para marcar época!!”.
A frase não passou desapercebida ao candidato e no dia seguinte, houve uma tensa reunião na Mega Igreja.
– “Mal entendido? Como assim, candidato?”, indaga um contido pastor Premium.
– “Bem, ontem eu ouvi o senhor falar que “faremos um governo”, mas não há mais espaço para inserir ninguém no grupo que governará no próximo mandato”.
Um silêncio sepulcral tomou conta da sala, enquanto um ar gelado varria o ambiente.
Por aquela o staff da Mega Igreja não esperava. O pastor Advanced, que havia mediado os contatos com os candidatos, afrouxou o nó da gravata.
O candidato foi claro: “Quando o pastor Advanced nos procurou, disse-nos que a Mega Igreja tinha interesse em nos apoiar. Só isso”.
Pastor premium lançou um olhar mortal para Advanced mas tentou contemporizar.
– “Mas é claro que o candidato reconhece que esse avanço nas pesquisas tem forte influência do nosso apoio, não reconhece?”.
O candidato, já picado pela “mosca azul” da liderança nas pesquisas, foi mordaz.
– “Pastor Premium, desculpe a sinceridade, mas eu sou bem melhor do que meu adversário e minhas propostas são imbatíveis. Até concordo que sua igreja possa me dar uma meia-dúzia de votos, mas não superestime seu apoio”.
O candidato certamente não mediu as consequências dessas palavras.
Irritado, Pastor Premium foi curto e grosso: “Meia-dúzia de votos? Então veremos! Passar bem!” e praticamente enxotou o candidato e seu staff da sala.
Ato contínuo, chamou a secretária.
– “Convoque uma coletiva com rádio, tv, jornais, internet, os canecos, quero falar para o mundo inteiro. E rápido!”.
Duas horas depois as maiores jornais e emissoras de tv estavam à postos para ouvir a declaração do pastor Premium, no púlpito da Mega Igreja.
– “É com imenso pesar que comunico aos membros da Mega Igreja e à comunidade em geral que erramos”, inicia seu discurso, de forma dramática.
Em cada frase, a entonação trágica preparava o terreno para a declaração seguinte.
– “Os filhos das trevas são mais astutos que os filhos da Luz. Fomos enganados, sórdidamente enganados! Abusaram da boa fé do povo de Deus, de humildes servos do Senhor, que crêem na pureza e singeleza de intenções”.
Hábilmente, orientado que foi pelo grupo jurídico da Mega Igreja, não há nada claro ou objetivo, apenas insinuações.
– “Como líder máximo da Mega Igreja, declaro, entristecido e ferido, que retiramos nosso apoio ao candidato à prefeito”.
O efeito foi devastador. Tema de todos os jornais, revistas e telejornais, a retirada do apoio da Mega Igreja causou inevitável estrago na reta final da campanha.
De forma orquestrada, os demais membros do staff da Mega Igreja davam declarações evasivas, mas destrutivas.
–  “A única coisa que posso dizer é que jamais imaginei tal coisa”, choramingava Platinum.
– “Apunhalados pelas costas, por alguém que demos casa, comida e abrigo”, dramatizou o pastor Gold.
– “Mordeu a mão que o alimentava”, apelou Gold.
A assessoria de imprensa da Mega Igreja divulgou que o pastor Premium ficara tão abalado com a “injustiça” que estava em retiro espiritual, para se recuperar.
Em questões de dias, tudo se inverteu. A pesquisa a seguinte indicava que o candidato não só perdera a liderança como seria massacrado nas urnas: 98% dos entrevistados declararam que votariam no adversário.
Na CEO room, pastor Platinum transmitia a boa notícia ao pastor Premium, que estava em sua mansão em Boca Ratón.
– “Ótimo, boa notícia Platinum. Isso é para esses insetos aprenderem o poderio da Mega Igreja”.
Antes de desligar, pastor Premium manda o recado: – “Antes que me esqueça, avise ao Advanced para arrumar as malas e passar uns seis meses na congregação lá no Tocantins, no meios das onças, para meditar na burrada que fez”.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s